Meu carrinho de compras
Carrinho Vazio
09/08/2023

Rush: 2 discos de cada década para conhecer o trio canadense

Rush: 2 discos de cada década para conhecer o trio canadense


O Rush é o maior representante do rock no Canadá e uma das maiores bandas de todos os tempos. Com músicas complexas e explorando diferentes sonoridades ao longo de sua carreira, o trio formado por Geddy Lee, Alex Lifeson e Neil Peart é dono de uma extensa e sólida discografia, contando com 20 álbuns de estúdio.

Com o lançamento do livro Rush Através das Décadas, que chega ao Brasil pela primeira vez pela editora Belas Letras, os fãs vão acompanhar a trajetória da banda ao longo de três décadas, com detalhes e reflexões inéditas dos integrantes sobre as décadas de 70, 80 e 90. O jornalista Martin Popoff analisa o legado do Rush música a música, álbum a álbum, fazendo um verdadeiro mergulho no vasto e intelectual universo do Rush.

Para preparar os leitores para a leitura de Através das Décadas, montamos uma lista com dois discos de cada década para (re)ouvir enquanto você espera o livro.

Fly by Night (1975)

Em seu segundo álbum de estúdio, o Rush já apresentava elementos de rock progressivo, gênero que marcaria forte presença na sonoridade da banda. O disco também é o primeiro com o saudoso baterista Neil Peart, que trouxe composições mais filosóficas para o grupo.

fly by night

2112 (1976)

O quarto disco do Rush traz a clássica suíte em sete partes composta por Geddy Lee e Alex Lifeson e com letras compostas por Neil Peart, que abordam uma história distópica que acontece no ano de 2112. A banda estava sendo pressionada pela gravadora devido ao fracasso comercial do álbum anterior, que contava com canções conceituais, e mantendo seus princípios mais uma vez, o Rush lançou outro trabalho com músicas conceituais e que se tornou um grande sucesso comercial.

2112

Moving Pictures (1981)

Em Moving Pictures, o Rush apresenta canções com uma proposta mais radiofônica e com um tempo de duração mais curto comparado aos lançamentos anteriores. O disco recebeu críticas positivas e se tornou um sucesso comercial instantâneo, se tornando o álbum do Rush mais vendido nos Estados Unidos, com mais de 5 milhões de cópias.

moving pictures

Signals (1982)

O Rush deu continuidade ao uso de sintetizadores e elementos eletrônicos em Signals. O trabalho veio após o sucesso de Moving Pictures e manteve a banda em evidência, pegando primeiro lugar top álbuns do Canadá e décimo lugar nos Estados Unidos. É considerado por alguns veículos de comunicação como a Ultimate Classic Rock como um dos 10 melhores discos do Rush.

signals

Roll the Bones (1991)

Combinando elementos clássicos do rock com novas experimentações, "Roll the Bones" surpreendeu os fãs com sua abordagem ousada e inovadora. A faixa-título é um exemplo marcante dessa ousadia, com a inclusão de rap, algo inédito na discografia do Rush. As letras reflexivas e melodias envolventes marcam presença em músicas como "Dreamline" e "Ghost of a Chance", mostrando que a banda não perdeu sua essência mesmo com as novas incursões sonoras.

roll the bones
Test for Echo (1996)

"Test for Echo" apresenta uma combinação única de riffs de guitarra potentes, ritmos complexos e letras reflexivas, mostrando a maestria musical de Geddy Lee, Alex Lifeson e Neil Peart. A jornada sonora de "Test for Echo" é uma viagem através das emoções e pensamentos da mente humana. As letras poéticas e temas profundos abordados em músicas como "Virtuality" e "Time and Motion" elevam o álbum a outro patamar, revelando a capacidade única do Rush de transmitir mensagens importantes por meio de sua música.

test for echo
Acompanhe a trajetória e o legado do trio canadense com o livro Rush Através das Décadas e conheça a história da banda música a música, álbum a álbum. E para deixar a experiência ainda mais imersiva, preparamos uma playlist para ser a trilha sonora da sua leitura e te acompanhar no universo do Rush.

Clique aqui para ouvir a playlist!