Meu carrinho de compras
Carrinho Vazio
15/08/2023

“Quem é fã mesmo do Rush tem que ter esse box em casa”

O livro Rush Através das Décadas finalmente está chegando ao Brasil. A obra que celebra o legado do trio canadense em mais de 1200 páginas, contando a história música a música, álbum a álbum, com reflexões inéditas de Geddy Lee, Alex Lifeson e Neil Peart, além de familiares, amigos e outros músicos, criando um documento definitivo sobre a trajetória de uma das maiores bandas da história da música.

Conversamos com a tradutora Candice Soldatelli, que além de ser uma grande fã de Rush, também trabalhou na tradução dos livros de Neil Peart lançados pela Belas Letras.

Candice nos contou sobre os desafios de traduzir uma obra tão densa e detalhada, além de falar sobre a importância do livro no universo do Rush e das surpresas que teve ao traduzir Rush Através das Décadas.

Entrevista com Candice Soldatelli – Rush Através das Décadas

Como foi trabalhar em uma obra tão extensa sobre o Rush?

Candice: Foi uma honra, né?! Todo mundo diz ‘Ah, a Candice depois dos livros do Neil virou meio que a tradutora oficial do Rush no Brasil’, mas não é bem assim. Acho que o destino te encontra, né?! O Rush sempre foi uma das minhas bandas favoritas e as oportunidades foram aparecendo, então quando surgiu essa, de traduzir os livros do Martin Popoff sobre o Rush, que já fazia anos que os fãs estavam pedindo, acabou caindo no meu colo. Eu conversei com o nosso editor, o Germano, e ele disse ‘Não, não, é contigo mesmo porque aí eu já economizo na revisão técnica.’ (risos).

Como profissional e fã, na sua opinião, qual a importância de Rush Através das Décadas?


Candice: O Martin Popoff, que eu tive o prazer de conhecer, eu fui a Toronto ano passado e a gente se reuniu na sede da editora e conversamos um monte, ele é uma sumidade. Ele é um jornalista que se dedica a vida inteira a fazer esse resgate histórico das bandas e tem um conhecimento absurdo. Ele tem aquela pegada de crítico musical do final dos anos 70/80, com uma linguagem mais floreada e muito conhecimento técnico. Ele é muito detalhista, é música a música, muitos detalhes dos processos de gravação dos álbuns. Realmente, eu acho que é um material bem completo. Quem é fã mesmo do Rush tem que ter esse box em casa porque ele é um material muito bom para consulta, inclusive. O Popoff pegou um relato da época. São livros bem bons assim nesse aspecto de “Ok, agora eu sei tudo sobre a história do Rush. Tá tudo lá.”

Quais foram os maiores desafios de trabalhar em Através das Décadas?

Candice: Com certeza a nomenclatura técnica. Quando anunciaram o box, uma amiga disse ‘Ah, com certeza a tradução da Candice vai ficar perfeita’ e eu disse que em uma tradução de mais de 1000 páginas isso é impossível. Mas eu aposto que fizemos o melhor que podíamos como equipe na Belas Letras. Nunca é uma pessoa só. É sempre um trabalho em equipe e muito gratificante. Depois que eu termino a tradução o livro ainda passa por muitas etapas e algumas coisas acabam voltando para mim, para a gente discutir e decidir se é isso ou aquilo. Mas te garanto que o que está sendo entregue para o leitor é um material cuidadosamente preparado, revisado, trabalhado ao longo de um dois anos inteiros.

Você diria que Através das Décadas é a biografia definitiva do Rush?

Candice: Eu acredito que no mundo hoje, esses três livros (que a Belas Letras publica em um único volume), até por serem os mais recentes, são edições que foram revisadas, atualizadas, inclusive o Driven teve uma atualização que fala sobre o falecimento do Neil Peart e não tem nenhum livro lançado no mundo que fale desse assunto, então eu acredito que sim. Eu acho que hoje esse compêndio é o mais completo que vai ter no mercado de língua portuguesa com certeza. E uma outra coisa que o pessoal talvez não saiba é que tem fotos, muito material bem interessante, algumas coisas de memorabília, eu vi muita coisa lá que eu não conhecia. Além disso, no final de cada livro tem a lista completinha da discografia do Rush década a década. É muito detalhado, o Popoff fez um trabalho de pesquisa invejável.

Qual história ou curiosidade que o livro aborda que mais te surpreendeu como fã de Rush?

Candice: Eu gostei muito de saber, e agora lá vai o spoiler, porque até hoje tem muito debate por que o primeiro baterista, o John Rutsey, que gravou o primeiro disco com eles, por que esse cara de uma hora para outra acabou desistindo da banda. Essa parte do Rutsey eu achei que ficou muito boa, explica muito bem o que aconteceu. Não tem uma versão só, tem várias, então o fã da banda pode chegar a suas próprias conclusões. Eu tirei as minhas conclusões e agora vou aguardar os leitores tirarem as deles.



A pré-venda de Rush Através das Décadas já está disponível na loja on-line da Belas Letras, então não deixe de garantir a bíblia do Rush e conhecer todos os detalhes da trajetória de uma das maiores bandas de todos os tempos em sua biografia definitiva.