fbpx

voltar Criatividade 11/05/2020 Que história você vai contar para você mesmo hoje?

Um dos momentos de maior desespero que um amigo meu viveu na juventude foi quando o vestibular chegou e ele ainda não sabia o que fazer. Então ele decidiu pedir um conselho para o pai, que ele admirava muito. A resposta foi: "Tanto faz". "Como assim tanto faz, pai?". "Tanto faz, filho, porque a profissão em que você vai trabalhar quando se formar ainda não existe. Provavelmente você vai trabalhar em algo que ainda nem sabe que existe".

A profecia se concretizou e meu amigo já fez um monte de coisas na vida, tem 40 anos, menos aquilo que estudou pra fazer, que era publicidade - embora seja muito útil para ele.

Ele sempre conta essa historinha pra mostrar como a gente se preocupa com as coisas erradas na vida: o futuro e o passado. Ou aquelas que não têm mais como mudar, que geram arrependimento, ou aquelas que não existem ainda. O futuro é uma ilusão criada pela nossa imaginação, simplesmente porque ele não aconteceu ainda.

O maior erro que a gente pode cometer é ter medo de errar, segundo o filósofo Elbert Hubbard. 

Nosso futuro começa hoje, e nossa única certeza na vida agora é que você está lendo este texto neste exato momento. Por isso é tão importante cultivar o otimismo e deixar o fluxo da vida conduzi-lo para suas conquistas e não se preocupar se elas se concretizarão. Trocar o foco do que pode dar errado para o que pode dar certo. Abraçar o futuro com a curiosidade genuína de uma criança e escolher acreditar que ao nosso redor nós temos tudo que precisamos agora para viver a vida. 

Não há como construir o futuro sem viver o presente. As experiências que você vai ter agora determinam a história que você vai contar pra si mesmo um dia.

O que você quer fazer hoje ainda até riscar mais esse dia no seu calendário? Que tal no fim do dia olhar para as coisas incríveis que conseguiu fazer e agradecer por elas?

Um bom e inesquecível dia para você!

 

#SegundaDaCriatividade #BelasLetras #BomDia

 

@guertlergustavo não é filósofo, não é psicólogo, não é palestrante, não é coach, não é guru do marketing, além de não ser mais um monte de coisas. Ele é gente, apenas – e às vezes vai para a Belas Letras trabalhar também.