fbpx

voltar Criatividade 15/06/2020 O que está mal resolvido em você?

Entre uma das coisas incríveis que têm me acontecido aqui é conhecer e aprender com pessoas que leem estes e-mails todas as segundas. Uma delas é a Esmeralda, que tive a oportunidade de encontrar pessoalmente também. Ela é uma especialista na área de gerontologia, uma das sócias de uma startup muito legal para melhorar a atenção e o cuidado aos idosos por meio da tecnologia.

Ao longo das décadas dela de experiência em hospitais – ela foi diretora clínica por mais de vinte anos – a Esmeralda constatou que quando algum idoso apresentava constantemente e sem razão aparente um comportamento agressivo, rancoroso, amargo, enfim, era porque em geral tinha algo mal resolvido durante a vida e que talvez agora não fosse mais possível fazê-lo. Ter casado com a pessoa que não amava, ter deixado de correr um risco a mais e abraçado uma oportunidade, ter optado por uma vida confortável financeiramente e não ter ido atrás daquilo que amava fazer, ter brigado com algum filho, irmão, pai, enfim, e não ter tido a coragem de pedir perdão – ficou aquela ferida aberta, que fez essa pessoa ter perdido muitos momentos importantes ao lado de quem amava. E essas feridas doíam muito mais quando batia a velhice, porque as pessoas se davam conta da finitude da vida.

Vendo muitas despedidas, a Esmeralda notou outra coisa interessante: havia pequenas atitudes comuns de familiares, especialmente filhos e netos, que faziam com que a morte se tornasse algo muito menos doloroso para todos. Porque da mesma forma que pais podiam ter coisas mal resolvidas na sua vida, filhos e netos também podiam ter. E quando aquela pessoa querida partisse talvez se arrependessem de não ter conseguido dizer ou fazer algo a seus pais, avós, enquanto eram vivos.

Olhando tudo isso durante muitos anos, a Esmeralda criou uma lista que ela chamou de “coisas para fazer com seus pais antes de dizer adeus”. Ali tem desde coisas bem prosaicas como outras coisas mais profundas, mas que realmente fazem diferença. A maioria delas exige um contato físico (foi feita bem antes da pandemia), mas algumas é possível realizar à distância, por telefone até. A Esmeralda me autorizou a compartilhar a lista dela com você. Pra baixar é só clicar aqui.

Convido você a fazer apenas uma coisa da lista ainda esta semana com seus pais, ou com alguém do seu círculo próximo. Eu também vou aplicar uma dica dessa lista junto, não com meus pais, mas com um amigo – e vou contar na semana que vem como foi.

Uma semana de grande contentamento pra você!

 

#SegundaDaCriatividade #BelasLetras #BomDia

 

@guertlergustavo não é filósofo, não é psicólogo, não é palestrante, não é coach, não é guru do marketing, além de não ser mais um monte de coisas. Ele é gente, apenas – e às vezes vai para a Belas Letras trabalhar também.