fbpx

voltar Criatividade 08/06/2020 O quão longe você pode voar?

Semana passada, contei a história do mito de Dédalo, que construiu para o Rei Mino um labirinto de onde era impossível sair sozinho e que mais tarde se tornou sua própria prisão.

Então, Dédalo foi aprisionado lá junto com o filho, Ícaro, passando a viver os dias sonhando com a liberdade. E essa lenda nos leva a uma das reflexões mais profundas e enriquecedoras sobre nossas ambições, a inspiração para o título do livro do empreendedor Seth Godin, Icarus Deception (A Decepção de Ícaro).

Como sair de um labirinto que você mesmo criou para que ninguém conseguisse encontrar a saída? Pelo céu, claro. Mas não havia como escalar paredes tão altas, o único jeito era voando. Dédalo e Ícaro então resolveram construir asas para eles, usando penas de aves que voavam sobre o labirinto. Colaram essas penas com cera e fizeram suas asas gigantes.

Antes de partir, no entanto, Dédalo deu um conselho valioso para o filho: quando saíssem do labirinto, ele não devia voar nem muito baixo, porque havia o mar e ele iria cair e morrer afogado, nem voar muito alto, perto demais do sol, porque o calor derreteria a cera das asas e ele também morreria na queda no mar.

Dédalo e Ícaro escaparam do labirinto e alcançaram os céus da Grécia. Mas Ícaro se deslumbrou pela sensação de liberdade e pela beleza daquela paisagem. Voou mais alto, o calor do sol derreteu a cera de suas asas e acabou com seu sonho. Ícaro caiu no mar e morreu.

Os sonhos alimentam o sentido da vida, mas eles não podem nos fazer pensar que não devemos mais pensar na nossa realidade. Tentamos superar todos os obstáculos da nossa vida, mas às vezes nossas utopias nos impedem de ter bom senso e prudência para realizar esses sonhos.

Ao invés de largar hoje o seu emprego, ou de embarcar hoje para aquela viagem, ou encarar aquele novo desafio, que tal planejar e fazer isso de maneira gradativa, para não cair no mar nem para queimar as asas dos seus sonhos no sol? Essa não é uma história sobre se acomodar, mas sobre aprender a usar a liberdade e a correr os riscos certos. E também não é sobre escolher o caminho do meio, mais confortável. É sobre você se arriscar e chegar o mais perto do sol que conseguir. Chegar o mais perto do sol, sem se deslumbrar demais e ter suas asas queimadas, sem viver com os pés apenas no chão, é o voo mais incrível que qualquer ser humano pode fazer em sua jornada. E por isso a vida é tão interessante: ela não tem um plano de voo pronto.

Uma semana com grandes voos pra você (mas cuidado com o sol…)

PS: hoje é meu aniversário. Estou de folga, então não conseguirei responder e-mails hoje, retorno amanhã.

 

#SegundaDaCriatividade #BelasLetras #BomDia

 

@guertlergustavo não é filósofo, não é psicólogo, não é palestrante, não é coach, não é guru do marketing, além de não ser mais um monte de coisas. Ele é gente, apenas – e às vezes vai para a Belas Letras trabalhar também.