fbpx

voltar Criatividade 06/05/2019 Como você enxerga seus desafios?

Em 1911, dois grandes navegadores entraram em uma disputa que parecia impossível para a época: chegar até o polo sul. O norueguês Roald Amundsen e o inglês Robert Scott aceitaram o desafio de enfrentar uma rota de milhares de quilômetros pelo mar até a latitude 90, em temperaturas que chegavam a 86 graus negativos em meio a um noite polar que durava quatro meses.

Muitos anos depois, pesquisadores encontraram o diário de cada um dos aventureiros e eles renderam pelo menos dois livros.

O inglês descreve assim o continente: “Meu Deus, este é um lugar medonho e horrível.” Nos dias que se seguiram, o diário do inglês está repleto de descrições sombrias e expressões como “extremamente ruim”, “verdadeiramente assustador” e “terrivelmente exausto”.

Por outro lado, o diário do norueguês já registra o começo da jornada assim: “A partida foi esplêndida e toda a tripulação estava muito animada.” Quando se aproxima dos pontos mais difíceis da viagem, Amundsen os descreve assim: “A beleza daquela tarde era inacreditável! Convidativa e atraente, sua infinita beleza exibia-se diante de nós. Sim, escutamos teu chamado e estamos a caminho. Receberás teu beijo e, para pagá-lo, empenhamos nossas vidas.”

Quem você acha que conquistou o polo sul? Foi o norueguês, claro. Ele via beleza onde o inglês só via desolação; olhava com respeito e amor o desafio, enquanto o inglês sentia tristeza e desesperança.

Lidamos todos os dias com a realidade adversa: governo, impostos, falta de dinheiro, coisas que não dão certo. Mesmo quando fazemos profissionalmente aquilo que gostamos, provavelmente em 99% do tempo nossa rotina é de trabalho duro (se a sua não é, atenção: repense sua carreira rapidamente, antes que a realidade o obrigue a repensar). O que faz a diferença é como você encara e faz esse trabalho. Quem conquista o que quer não são apenas as pessoas que fazem o que gostam. São as pessoas que fazem o trabalho duro com paixão.

 

Boa semana!

#segundadacriatividade #belasletras

 

Retirei esta história do livro “Pense Grande”, do Alex Bonifácio. Recomendo a leitura (só tem e-book).

 

Gustavo Guertler não é filósofo, não é psicólogo, não é coach também. Ele é CEO da Belas Letras.