Meu carrinho de compras
Carrinho Vazio
06/04/2023

53 anos de Woodstock: 6 momentos que marcaram as edições do festival

53 anos de Woodstock: 6 momentos que marcaram as edições do festival

A primeira edição do Woodstock (Woodstock Music & Art Fair) foi realizada entre os dias 15 e 18 de agosto de 1969. O evento ocorreu na cidade de Bethel, no estado de Nova YorkEstados Unidos. O festival foi anunciado como “Uma Exposição Aquariana: 3 Dias de Paz & Música”, sendo um marco da contracultura do final da década de 60 e começo de 70, reunindo 32 artistas renomados do mundo da música.

O festival contou com mais duas edições, uma em 1994, comemorando seus 25 anos e outra em 1999, comemorando seus 30 anos. Completando 53 anos de sua primeira edição, o evento foi um marco no mundo da música e um dos festivais mais emblemáticos de todos os tempos. Suas edições tiveram momentos marcantes, tanto positivos quanto negativos, que ajudaram a manter o evento vivo na memória do público.

Para comemorar seu aniversário de 53 anos, separamos 6 momentos que marcaram a história do Woodstock.

Jimi Hendrix e The Who no Woodstock de 1969

Jimi Hendrix foi escalado para tocar no último dia do festival de 1969, quando a maior parte do público já havia ido embora. Mesmo com o público reduzido, Hendrix fez uma apresentação histórica e executou o hino nacional americano em uma versão completamente psicodélica.

A apresentação do The Who na primeira edição do Woodstock foi surreal. A banda fez uma das performances mais longas do evento, tocando por 2 horas e executando 25 faixas no palco. O guitarrista Pete Townshend ainda expulsou o ativista político Abbie Hoffman do palco.

Green Day e Nine Inch Nails no Woodstock de 1994

A edição de 1994 do festival sofreu com as condições climáticas da época. Uma chuva intensa fez do local um rio de lama, o que rendeu algumas situações inusitadas e marcantes para o evento. Um momento memorável foi a apresentação do Green Day, que acabou fazendo uma guerra de lama com o público. Mike Dirt, baixista do grupo, se jogou na plateia e acabou se machucando ao ser confundido com um fã pelos seguranças.

Nine Inch Nails foi um dos shows que mais surpreendeu o público na edição de 94. Antes de subirem ao palco, os integrantes da banda brincaram de luta livre no meio da lama. O vocalista Trent Reznor e seus colegas de banda fizeram o show totalmente sujos e molhados, entregando uma das performances mais atordoantes do festival.

Limp Bizkit e Red Hot Chili Peppers no Woodstock de 1999

Diferente das edições passadas que de um modo geral foram um sucesso e cumpriram a proposta do amor e música, a edição de 99 veio a se tornar um dos festivais mais polêmicos e desastrosos da história. Com um calor de 40 graus, preços abusivos e a escassez de banheiros e chuveiros, o público do evento estava revoltado e tomado pelo ódio. O show do Limp Bizkit foi o estopim para que o público extravasasse sua raiva. Ao tocar a música Break Stuff, o vocalista Fred Durst incentivou a plateia a quebrar as coisas, gerando o descontrole da multidão.

Red Hot Chili Peppers, que já havia tocado na edição de 94, fez uma das apresentações mais intensas da edição de 99. A banda foi a última atração do palco East Stage, fazendo uma performance alucinante com direito ao baixista Flea tocando completamente nu. O público recebeu velas para acender durante a música Under The Bridge, e o que era para ser um momento belo e de conexão com a edição de 69, se tornou uma catástrofe. A plateia, já descontrolada, usou as velas para causar incêndios em vários lugares do festival. No bis, o Red Hot voltou ao palco para tocar a música Fire, cover de Jimi Hendrix, alegando se tratar apenas de uma homenagem ao artista.

Se você quer saber ainda mais sobre o Woodstock, principalmente sobre a edição de 1969, considerada a mais memorável e importante, o livro A Estrada para Woodstock, escrito por Michael Lang e lançado pela Editora Belas Letras, é a leitura perfeita.

IMAGEM: DIVULGAÇÃO BELAS LETRAS

Outro complemento para mergulhar na história desse festival emblemático, é a série lançada recentemente pela Netflix sobre a edição de 1999. Desastre Total: Woodstock 99, conta em 3 episódios tudo sobre a edição de 30 anos do festival. O que era para ser uma celebração, acabou se tornando um completo desastre marcado por incêndios, violência, destruição e abusos.