Meu carrinho de compras
Carrinho Vazio
15/03/2024

3 histórias inusitadas presentes em Led Zeppelin: A Biografia

3 histórias inusitadas presentes em Led Zeppelin: A Biografia


Led Zeppelin se tornou uma verdadeira lenda do rock n’ roll. Com seu estilo de vida frenético e destrutivo, o grupo também ficou famoso por suas polêmicas, exageros e situações inusitadas dentro e fora dos palcos. Várias lendas e mitos ganharam vida em torno do universo do Led Zeppelin, sendo um prato cheio para a mídia e para a fama da banda.

No livro Led Zeppelin: A Biografia, que chega ao Brasil em uma edição limitada chamada “O Eremita”, o biógrafo Bob Spitz separa o mito da realidade na obra mais completa sobre a banda. Reunindo entrevistas e reportagens originais, o autor não tem receio de revelar as histórias mais chocantes e problemáticas sobre o grupo, como o envolvimento com groupies menores de idade, violência sexual, festas fora de controle, entre outros acontecimentos.

Para mostrar um pouco do lado descontrolado e improvável do Led Zeppelin, separamos 3 histórias inusitadas presentes na biografia escrita por Bob Spitz.

1 – Jimmy Page com medo de Keith Richards

Quando Jimmy Page estava formando sua banda, ele cogitou chamar Terry Reid para cantar. O músico tinha despertado a admiração de Aretha Franklin e tinha aliados relevantes como Cream e os Hollies. Peter Grant conseguiu marcar um telefonema entre Jimmy e Reid, e Reid demonstrou interesse em trabalhar com Page, mas o músico tinha uma turnê com os Rolling Stones agendada e só poderia se comprometer após finalizar esse compromisso.

Jimmy Page não estava disposto a esperar, reforçando sua urgência e começar seu projeto. Reid então respondeu - “Se eu topar”, propôs ele, “você vai ter que ligar para o Keith [Richards] e dizer a ele que não vou participar da turnê. E você conhece o Keith – ele provavelmente vai te dar uma porra de um tiro na perna.”

Page ficou com medo da possível reação de Keith Richards ao saber do motivo por trás do cancelamento de Reid na turnê dos Stones e riscou o nome do músico de suas opções.

2 – Led Zeppelin e a libertinagem sem limites

O Led Zeppelin não dispensava uma farra. Em uma passagem da banda por L.A., os integrantes estavam em sua “temporada de caça”. Richard Cole sempre garantia que os músicos tivesses várias opções. Em determinado momento, em uma estádia da banda no Chateau Marmont, Peter Grant entrou em um bangalô reservado pelo grupo e deu de cara com uma jovem amarrada à cama pelos pulsos e tornozelos. Peter perguntou para moça o que ela fazia ali, e a jovem respondeu que não sabia, mas que eles não paravam de entrar ali e transar com ela. Grant então disse ‘‘Ah, OK, bem, tenha um bom dia.”

3 – O aniversário caótico de Bonzo

O Led Zeppelin foi celebrar um aniversário de John Bonham, o grande Bonzo, na casa do gerente geral da KROQ, a principal rádio FM de L.A. A celebração contou com vários convidados, entre eles o Beatle George Harrison. Havia muito champagne, bandejas com frutos do mar, jarras de ponche cheias de cocaína e um bolo de aniversário com três andares. Durante os parabéns, George Harrison pegou o andar de cima do bolo e coroou o aniversariante.

O resultado foi uma guerra de comida generalizada. Harrison foi atingido no peito, e para limpá-lo, Bonzo o arremessou na piscina. A festa se tornou um caos absoluto, com Peter Grant pegando um dos Cadillacs e entrando com o carro na piscina.

Essas e outras histórias bizarras você encontra em Led Zeppelin: A biografia, o livro definitivo do Zeppelin escrito pelo renomado biógrafo Bob Spitz. Leve para a sua pilha de leituras os exageros e o estilo de vida rock n’ roll do Led Zeppelin.