Meu carrinho de compras
Carrinho Vazio
25/08/2023

10 discos que influenciaram o Nirvana

O Nirvana fez muito barulho (literalmente) na década de 90 e revolucionou a cena musical com sua sonoridade única e agressiva. Considerados os principais representantes do grunge, gênero musical que se popularizou nos anos 90 tendo a cidade de Seattle como seu epicentro, o Nirvana trouxe muita distorção, guitarras barulhentas e um misto de melodia e berros em suas músicas.

Mesmo após a trágica morte do guitarrista e vocalista Kurt Cobain em 1994, o Nirvana segue sendo uma das bandas mais influentes de todos os tempos, servindo de inspiração para várias bandas ao longo dos anos.

Mas quais são as influências do Nirvana? É possível perceber traços de outros gêneros em suas músicas e postura, como a forte presença do punk na atitude de Kurt Cobain e na agressividade de suas canções.

Aproveitando o lançamento do livro Nirvana - A Verdadeira História, escrito pelo jornalista Everett True, que foi um dos primeiros a cobrir a cena grunge e teve acesso direto a Kurt Cobain, Dave Grohl e Krist Novoselic, preparamos uma lista com 10 discos que influenciaram o Nirvana ao longo de sua carreira.

Chegou a hora de conhecer os álbuns que influenciaram a banda que se tornaria uma das mais influentes de todos os tempos.

Pixies – Surfer Rosa

Produzido por Steve Albini, o álbum ganhou destaque pela sua produção crua e minimalista, que enfatiza a força e a autenticidade da banda. Canções como "Bone Machine", "Gigantic" e "Where Is My Mind?" mostram o talento de Black Francis como letrista e vocalista, enquanto as linhas de baixo de Kim Deal e a potência da bateria de David Lovering complementam a fórmula musical dos Pixies. A banda foi uma das maiores influências para o Nirvana, com sua sonoridade calcada na fórmula Loud -Quiet-Loud, onde a estrutura da música segue a linha alto, calmo, alto, que foi incorporada pelo Nirvana e inúmeras outras bandas ao longo dos anos.

pixies

Black Flag – My War

Lançado em 1984, "My War" é o terceiro álbum da lendária banda de punk/hardcore Black Flag. Um dos trabalhos mais influentes do cenário punk/hardcore, o disco mostra uma abordagem audaciosa e desafiadora, desconstruindo os padrões estabelecidos em outras obras lançadas pelo Black Flag. Incorporando elementos de metal e post-rock em sua sonoridade, a banda criou um som pesado, intenso e “torto”. A faixa título é um dos pontos altos do disco, com um lado sombrio e introspectivo. O Black Flag também explorou temas sociais e existenciais em faixas como "Can't Decide" e "Three Nights".

Black Flag

Sex Pistols – Never Mind the Bollocks

Never Mind the Bollocks é o álbum de estreia da icônica banda punk britânica Sex Pistols. Com sua atitude provocadora e letras controversas, o álbum transformou o Sex Pistols no sinônimo do punk e da rebeldia. Produzido por Chris Thomas, o disco exala uma energia crua e intensa, característica que seria incorporada pela sonoridade grunge anos mais tarde, além de conter críticas à sociedade. Os riffs poderosos e os vocais agressivos de Johnny Rotten transformaram canções como "Anarchy in the UK", "God Save the Queen" e "Holidays in the Sun" em hinos do movimento punk e representam a indignação e a insatisfação da juventude britânica na década de 70.

sex pistols

PJ Harvey – Dry

Dry marcou o início de uma carreira brilhante para PJ Harvey, estabelecendo-a como uma das artistas mais originais e inovadoras de sua geração. Lançado em 1992, o trabalho mostra sua voz poderosa e letras visceralmente honestas, fazendo do disco um sucesso instantâneo e chamando a atenção da crítica e do público. Seu impacto na música indie e seu legado como uma das vozes mais distintas da música alternativa continuam a ser sentidos até hoje. Uma obra-prima que captura a essência artística de PJ Harvey e é um marco atemporal na cena musical dos anos 90.

PJ Harvey

Sonic Youth – Daydream Nation

Considerado uma das obras-primas do rock experimental, Daydream Nation é uma experiência intensa e imersiva, que vai desde momentos caóticos e barulhentos até momentos de tranquilidade e melodia. As letras abordam temas como alienação, juventude e a própria natureza da música. O álbum inclui faixas icônicas como "Teen Age Riot", "Silver Rocket" e "The Sprawl", que exemplificam a habilidade do Sonic Youth em criar paisagens sonoras complexas e emocionais. O disco colocou PJ Harvey no radar da música alternativa, mostrando que a artista tinha grande potencial e um futuro promissor, o que seria comprovado com os lançamentos posteriores.

sonic youth

R.E.M. – Green

O sexto disco do R.E.M. marcou um ponto crucial em sua carreira, pois foi o primeiro lançado pela grande gravadora Warner Bros. Records, impulsionando-os para o estrelato global. Com "Green", o R.E.M. se firmou como um dos pilares do rock alternativo com seu som característico, incorporando elementos mais pop e acessíveis, sem perder sua essência autêntica. As letras inteligentes e misteriosas de Michael Stipe continuaram sendo o maior destaque da obra, evocando imagens vívidas e emocionais. Kurt Cobain tinha uma relação pessoal com o R.E.M., sendo um de suas bandas favoritas. Kurt também tinha uma relação intima com o vocalista Michael Stipe, chegando ao ponto de tornar o vocalista do R.E.M. padrinho de sua filha, Frances Cobain.

rem

Daniel Johnston – Yip Jump Music

Yip Jump Music foi gravado em casa em uma fita cassete, capturando a essência única e diferenciada do músico e artista Daniel Johnston. Com uma abordagem lo-fi e emocionalmente crua, o disco traz músicas simples e sinceras, com Johnston fazendo o acompanhamento no violão e piano. Com letras profundas e pessoais, o músico revela suas batalhas com saúde mental e emoções à flor da pele. Uma pérola rara da música alternativa composta por um gênio autêntico de sua geração. Kurt Cobain era um grande fã de Daniel Johnston, usando camisetas do músico em diversas ocasiões.

Daniel

The Beatles – Meet the Beatles

Lançado em 1964, "Meet the Beatles" é o segundo álbum dos garotos de Liverpool. A obra foi um dos principais motivos que resultou no fenômeno da Invasão Britânica nos Estados Unidos, desencadeando no futuro a catarse da beatlemania. O disco contém uma seleção de sucessos que já haviam sido lançados no Reino Unido como as faixas"I Want to Hold Your Hand", "All My Loving" e "She Loves You". Essas músicas se tornaram sucessos estrondosos nos EUA, impulsionando a banda para a fama global.

beatles

David Bowie – The Man Who Sold the World

Com letras poéticas e intrigantes, "The Man Who Sold The World" mergulha em temas profundos e misteriosos, explorando identidade, loucura e o desconhecido. O álbum foi um ponto de partida para a criação do icônico alter ego de David Bowie, Ziggy Stardust. A faixa título foi regrada pelo Nirvana em uma versão bem intimista no último trabalho da banda, o álbum Unplugged in New York, popularizando o nome de Bowie entre os jovens da década de 90 que ainda não conheciam a obra do camaleão do rock. A obra marca uma das inúmeras transições musicais de Bowie, saindo do folk para uma sonoridade mais experimental.

bowie

Aerosmith - Rocks

Rocks é um dos álbuns mais marcantes na carreira do Aerosmith, sendo considerado um dos melhores e mais influentes em sua discografia. O trabalho lançado em 1976, consolida o Aerosmith como um dos grandes nomes da década de 70, mostrando o hard rock característico que apenas Steven Tyler e companhia conseguiam executar. Faixas como Back in the Saddle, Rats in the Cellar, Nobody’s Fault e Sick as a Dog mostraram a habilidade instrumental da banda e os vocais alucinantes de Steven Tyler.

aerosmith
E para embalar a leitura da biografia Nirvana – A verdadeira História, preparamos uma playlist com músicas dos 10 álbuns que influenciaram a banda, além de alguns sucessos do Nirvana para complementar a trilha sonora temática.

Ouça a playlist clicando aqui!